Apresentação

Um Orgulho dos Pernambucanos

Lembro muito bem da primeira vez que ouvi a OARA - que nem super era ainda. Foi numa festa de 15 anos da filha de um amigo do comendador Áureo Bradley, em Arcoverde. Saí impressionado com o altíssimo nível dos músicos e com o atualizadíssimo repertório. Depois - naquela época ia muito ao interior em função do concurso Miss Pernambucano - fui me acostumando a curtir a OARA.

Não entendia porque ela não chegava ao Recife. Claro que aqui tínhamos grandes orquestras, como a de José Menezes, Duda, Fernando Borges, para citar apenas estas, mas com certaza a SUPER OARA teria vez.

Graças à amizade com o presidente Sílvio Pessoa e o diretor social Nelson Dias, insisti para que o Sport contratasse a orquestra de Acorverde para o carnaval. Na época, o rubronegro fazia festas monumentais. Dei o aval, eles confiaram e a OARA veio.

Não foi um missão fácil. Dividiu o palco com uma verdadeira seleção de músicos cariocas, numa orquestra comandada por Evaldo Gouveia, que incluía mulatas do outro mundo. Porém, o Jogo terminou empate. A OARA simplismente arrasou.

A partir de então, virou presença constante no Recife. Fora do Carnaval, mostrava seu esquema ideal para dançar. E se tornou comum às pessoas quererem saber aonde a OARA iria tocar para comparecer. O sucesso só fez aumentar.

Claro que a orquestra já se apresentava pelo Nordeste todo, mas o brilho no Recife, como a grande metrópole, decolou uma carreira fantástica. A orquestra virou SUPER OARA, deu filhotes, como a OÁSIS e a OHARA, com o mesmo nível de qualidade e hoje é sinônimo de boa música e sucesso.

Em todos esses anos, solidifiquei uma amizade muito grande com o Beto, o maestro da OARA. E confesso que há anos venho cobrando dele um disco. Até por um ato de egoísmo. Gostaria muito de poder ouvir a SUPER OARA na hora que desejasse. Ele prometia, prometia e nada...

Agora, vem o convite para assinar a apresentação. Vocês não imaginam a alegria que tenho em escrever este texto. Estou feliz, acho que isto diz tudo. Mas do que uma alegria, uma honra: estou apresentando nada menos do que a melhor orquestra do Nordeste. Um presente.

Não tenho dúvida do sucesso deste projeto. Ouvir a SUPER OARA é sempre maravilhoso: num clube, numa casa de shows, num motel, no Palácio do Governo, em qualquer parte. E agora podemos ouvir em casa.

A SUPER OARA é um orgulho de todos nós pernambucanos. E que orgulho...

João Alberto


Gravado ao Vivo no Clube
Internacional do Recife


01 - LIEBESTRAUM
(Franz Liszt)

02 - MARIA BONITA
(Agustin Lara)

03 - AMOR, AMOR, AMOR
(Gabriel Ruiz/Ricardo Lopes Mendez)

04 - MAMBO Nº 5
(Perez Prado)

05 - POUT-PORRI
a) IN THE MOOD
(J. Garland/A.Razaf)
b) LITTLE BROWN JUG
(Trad. Doherty/Anderson)
c) AMERICAN PATROL
(Trad.: Doherty/Anderson)
d) PENNSYLVANIA 6-5000
(G. Sigmond/J. Gray)
e) IN THE MOOD
(J. Garland/A. Razaf)

6 - LET ME TRY AGAIN
(Anka/Cahn/Caravelli)

7 - MY WAY
(Anka/François/Reyaux/Thibault)

8 - CAN'T TAKE MY EYES OFF YOU
(Bob Crewe/Bob Gaudio)

9 - Pout-Pourri:
a) LA BAMBA
(L. Martinez Serrano)
b) TWIST AND SHOUT
(P. Medley/B. Russel)

10 - SHE LOVES YOU
(John Lennon/Paul McCartney)

11 - GUARIJA
(D. Brown/J.Araes/R.Reyes)

12 - CAVALO VEJO
(Simão Diaz)
 

13 - WHEN THE SAINTS GO MARCHIN IN
(Trad.: Louis Armstrong)

14 - NO BAIRRO DO RECIFE
(Elack Amaral)

 

Para escutar as músicas basta clicar sobre o link.
Se você não possui o WinAmp clique para fazer o DownLoad.